terça-feira, 29 de dezembro de 2015

E ano novo também

O ano termina, e começa outra vez.

É isso aí... parece que 2015 está acabando. E já faz tempo que não se aguardava tão ansiosamente pelo fim de um ano.

Não vou dizer que foi ruim, também não foi tão bom assim. Surpreendente e desafiador, na maioria das vezes não no bom sentido que surpresas e desafios podem representar.

No macroambiente cenários e notícias assustadores, daqueles de perder a fé na humanidade, além de perdas irreparáveis. Mas em meu pequeno e humilde microambiente não tenho do que reclamar, a patota cresceu e quando chega alguém novo é como se renovasse dentro de nós a fé e vontade de lutar por um mundo melhor.

Enfim... sobrevivemos!

Então antes que 2015 desista de dizer tchau e vá se acomodando por aqui, vamos preparar a festa do adeus. Mas principalmente, vamos preparar a festa de boas vindas à 2016.

Para não arriscar um repeteco do ano que acaba, todas as mandingas são bem vindas. Já o mau humor e a intolerância que acabem junto com o ano.

Mandinga de fim de ano tradicionalíssima por aqui é comer peixe na virada. E no anzol o linguado virá recheado com couscouz marroquino e castanhas portuguesas, bem parecido com esta receita enrolada aqui, mas com muitas variações a começar pela apresentação do próprio peixe.

Vá a feira, em sua barraca de confiança, escolha 1 linguado bonito e inteiro. De maneira simpática, informe o feirante que você pretende rechear, troque receitas e peça gentilmente para que ele limpe o peixe para o seu preparo. Gentileza é bem vinda sempre, seja o ano que for, já a má vontade...

Bom, o linguado que deveria ser limpo e espalmado veio com escamas e espinhas (e não aquelas escondidas, difíceis de tirar, veio com a espinha central mesmo). Agora realiza... o feirante além de técnica tem uma faca afiada e própria... um pouquinho de boa vontade teria ajudado muito. Mas... 

Continue a nadar, para achar a solução...

Mesmo com uma faca cega e sem muita habilidade o ser humano se esforçou. Obtive dois filés de linguado, com pele, unidos pelo rabo do peixe. Parecia que ia dar tudo errado... mas o importante é não desistir. Que a persistência persista em 2016.

No fim ficou até bonitinho, vai ver esta até é uma boa forma de lidar com este espinhudo, vai ver que foi pelo inusitado do pedido que o feirante não soube entender o que eu pretendia. Vai ver que foi isso e não má vontade, vamos aprimorar a comunicação para a próxima vez. #xápralá

parece estranho, mas até que deu certo

Linguado preparado, tempere com 1 dente de alho grande amassado no pilão, sal, pimenta do reino, o suco de 1/2 limão e azeite. Reserve.

Enquanto isso, prepare o couscouz marroquino. 

Deixe de molho 1 xícara de couscouz em 300 ml de água morna com sal por 30 minutos. Solte o couscouz com a ajuda de um garfo.

Em uma frigideira aqueça 2 colheres (sopa) de manteiga e 1 colher (sopa) de azeite, quando a manteiga acabar de derreter acrescente 200 g de shimeji branco limpo e em pedaços grandes. Espere murchar, acrescente 150 g de castanhas portuguesas cozidas e picadas (também pedaços grandes), adicione o couscouz, raspas de 1 limão, sal e muita salsa. Misture tudo e está pronto!

"Estufe" o linguado com este recheio. Coloque em uma forma untada com azeite, cubra com papel alumínio e leve ao forno preaquecido a 200º por aproximadamente 25 minutos.

linguado recheado com couscouz marroquino para começar 2016 com 2 pés direito

Peixe macio, sabores delicados e harmoniosos. Combina muito bem com aquele espumante leve e borbulhante que nunca pode faltar no réveillon.

Se o que vem por aí em 2016 será bom eu não sei, mas que com esta receita ele já começa ganhando alguns pontos, disto eu tenho a mais absoluta certeza.

Resumindo, tudo o que se quer por aqui no próximo ano: delicadeza, harmonia, leveza, sabor e muitas borbulhas!

Que venha 2016 e que 2015 finalmente acabe.

Feliz Ano Novo!


Ingredientes

Linguado recheado com coucouz marroquino e castanhas portuguesas:
(1 linguado serve 2 pessoas - 1 xícara de couscouz recheia 3 linguados)
3 linguados inteiros e limpos
3 dentes de alho grandes
1 e 1/2 limão - suco e raspas
1 xícara de couscouz marroquino
300 ml de água morna
2 colheres (sopa) de manteiga
1 colher (sopa) de azeite
200 g de shimeji branco
200 g de castanhas portuguesas cozidas e picadas
sal, pimenta do reino, azeite e muita salsa
simpatia, gentileza, boa vontade e persistência a vontade também

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Então é Natal

Chegou a hora de escutar a Simone com alegria. De poder escolher a vaga nos estacionamentos dos shoppings, e em cada loja encontrar vendedores com um sorriso sincero e muita disposição e boa vontade. E principalmente, de poder passear tranquilamente pelas ruas de comércio popular.

Hora de deixar as diferenças de lado, de estreitar os laços das amizades que se afrouxaram no decorrer do ano. Época também de poupar integralmente o 13º e comprar nozes, chester e bacalhau pela metade do preço... ou não. 

De volta a este plano astral, nos deparamos com uma realidade um tantinho diferente, onde já faz tempo que a gente pede felicidade, mas o papai noel não vem.

Não me entendam mal, eu adoro o Natal. E ceticismo à parte, é uma época charmosa que tenta despertar o que há de melhor em nós.

E cada um demonstra este melhor do jeito que sabe. No meu caso, na escolha e preparo do cardápio e, é claro, distribuindo muitos presentes e mimos por aí.

Um destes mimos são os deliciosos biscoitos de gengibre. Não muito tradicionais por aqui, mas muito populares desde Shrek.


biscoitos de gengibre, mimo simpático com aroma de natal

Comece preparando uma calda com 1 xícara de açúcar mascavo e 100 g de manteiga. Em uma travessa coloque 2 xícaras de farinha de trigo, 3 colheres (chá) de gengibre em pó, 1 colher (chá) de canela, 1 colher (café) de cravo moído e 1 colher (chá) de bicarbonato de sódio. Misture a calda aos ingredientes secos e adicione 1 ovo batido. Embrulhe a massa em um saco plástico e leve à geladeira por no mínimo 5 horas. Não se assuste, a princípio a massa fica meio molenga mesmo.

Passado este tempo, estique a massa entre plásticos com a ajuda de um pouco de farinha até obter a espessura de aproximadamente 5 mm. Caso a massa ainda esteja grudando, acerte a quantidade de farinha antes de esticar.

Corte com o cortador de "bonequinho" coloque confeitos coloridos para enfeitar e marque a massa profundamente para modelar boquinha e outros detalhes que quiser. Foi a maneira mais eficaz para evitar novos monstrengos. Leve ao forno preaquecido a 150° por aproximadamente 20 minutos.

Ficaram bem simpáticos!

Coloque em saquinhos transparentes, amarre com uma fita e ofereça de presente àqueles que estiveram ao seu lado durante todo o ano. Presentinho com gosto de quero mais.

Quero mais é que chegue a hora da ceia para provar muitas delícias. Como a mousse de nozes e gorgonzola.


mousse, bem cremosa, de nozes e gorgonzola

Cozinhe 1 batata média descascada em água com sal e 1 talinho de salsão para aromatizar. Quando a batata estiver cozida, separe 1 xícara da água do cozimento e use para diluir 5 folhas de gelatina sem sabor. Em um liquidificador bata a batata, a água do cozimento com a gelatina, 1 lata de creme de leite, 150 g de gorgonzola, 150 g de nozes, 1 cebola, azeite e sal a gosto. Distribua a massa em formas de silicone untadas com um pouco de azeite e deixe na geladeira de um dia para o outro.

Esta mousse acompanha muito bem a próxima receita, filezinho suíno envolto em massa folhada com crosta de castanha de caju.


filezinho suíno envolto em massa folhada com crosta de castanha de caju

Amarre 1 kg de filezinhos suínos com barbante formando uma peça única que lembre o rosbife. Corte em postas da altura de um tornedor (mais ou menos 3 dedos de altura) tempere com 4 dentes de alho amassados no pilão, o suco de 1 limão siciliano, 1 colher (sobremesa) de gengibre em pó, sal, azeite e pimenta do reino a vontade. deixe marinar na geladeira de um dia para o outro.

No dia seguinte...

Aqueça uma frigideira com um pouco de azeite. Coloque a carne para fritar em fogo alto por 5 minutos. Diminua o fogo e deixe fritar por mais 15 minutos. Vire a carne e repita o procedimento. Espere esfriar, retire o barbante e envolva a lateral das postas de carne com massa folhada.

A parte superior, cubra com uma crosta feita com 150 g de castanha de caju picada, 75 g de manteiga, 50 g de queijo parmesão ralado, um fio de azeite e salsinha a vontade.

Pincele uma gema de ovo na massa folhada e leve ao forno a 200° até que a massa e a crosta estejam bem douradas.

A cremosidade da mousse faz as vezes de um molho para a carne. Os sabores se complementam e há muitas texturas para agradar o paladar. Receita para preparar no Natal e receber elogios durante o ano inteiro.

Para encerrar, uma sobremesa tipicamente Natalina. O tronco de nozes com doce de leite.


tronco de nozes. tipicamente natalino


Cozinhe 1 lata de leite condensado na panela de pressão por 45 minutos. Lembre-se de cobrir a lata de água, deixá-la deitada e só abrir depois de fria. Reserve.

Bata 5 claras em neve e acrescente uma a uma as 5 gemas, espere incorporar e adicione aos poucos 5 colheres (sopa) de açúcar e 5 colheres (sopa) de farinha de trigo. Quando obtiver uma mistura homogênea retire da batedeira e junte delicadamente 100 g de nozes moídas e 1 colher (sopa) de fermento em pó.

Unte um tabuleiro e leve ao forno preaquecido a 180° por aproximadamente 25 minutos.

Assim que tirar do forno, com o bolo ainda quente, desenforme sobre um pano de prato úmido e polvilhado de açúcar. Corte as beiradas do bolo para facilitar a dobra. Com a ajuda do pano, enrole como rocambole e deixe por alguns minutos. Enquanto isso...

Faça o recheio misturando o leite condensado cozido com 50 g de nozes moídas.

Desenrole, recheie e enrole novamente, agora sem o pano.

Depois de frio, cubra com ganache, para prepará-la derreta 250 g de chocolate ao leite e adicione 1 xícara rasa de creme de leite. Quando estiver homogêneo acrescente 1 colher (sopa) de manteiga. Deixe na geladeira para endurecer.

Faça com a faca alguns riscos para imitar madeira, afinal é um tronco de nozes...

Doce de leite, nozes e chocolate, preciso mesmo dizer se ficou um espetáculo?

Depois da ceia, e só depois da ceia, aí sim, sou capaz de acreditar que o Natal existe, que ninguém é triste e que no mundo há sempre amor.

Bom Natal. Um Feliz Natal. Muito amor e paz pra você.


Ingredientes

Biscoitos de gengibre:
(rende aproximadamente 50 biscoitos)
1 xícara de açúcar mascavo
100 g de manteiga
2 xícaras de farinha de trigo
3 colheres (chá) de gengibre em pó
1 colher (chá) de canela
1 colher (café) de cravo moído
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 ovo 
farinha de trigo para ajudar a esticar a massa
cortador de biscoitos
confeitos coloridos para enfeitar

Mousse de gorgonzola com nozes:
1 batata média
1 talinho de salsão 
10 g de gelatina sem sabor
1 lata de creme de leite
150 g de gorgonzola
150 g de nozes
1 cebola
azeite e sal a gosto

Filezinho suíno envolto em massa folhada com crosta de castanha de caju:
1 kg de filezinhos suínos 
4 dentes de alho
1 limão siciliano
1 colher (sobremesa) de gengibre em pó
sal, azeite e pimenta do reino a vontade
1 pacote de 500 g de massa folhada
Para a Crosta:
150 g de castanha de caju
75 g de manteiga
50 g de queijo parmesão ralado
azeite e salsinha a vontade.

1 gema de ovo para pincelar
Barbante

Tronco de nozes:
1 lata de leite condensado
5 ovos
5 colheres (sopa) de açúcar
5 colheres (sopa) de farinha de trigo
150 g de nozes moídas
1 colher (sopa) de fermento em pó
250 g de chocolate ao leite
1 xícara rasa de creme de leite
1 colher (sopa) de manteiga

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Corre-corre

2015 está de malas prontas para partir, mas não antes das tradicionais festas de despedida que todo ano merece, independente do que seus 365 dias representaram para cada um de nós.

Como já era de se esperar nesta época fatídica há um corre-corre danado pra todo lado. Muitos preparativos e presentes e no meio de tanta correria fica até difícil pensar nos cardápios de fim de semana que antecedem os eventos. Nada mais justo que priorizar pratos de preparo mais rápido e até mesmo abrir mão de uma massa fresca e caseira feita com semolina de grano duro...

Pois é, as massas prontas também têm o seu valor. O que não se justifica é deixar de lado o sabor, as misturas inusitadas e cardápios inspirados.

Sem mais perda de tempo, hora de correr para a cozinha e colocar a mão na massa pronta de lasanha.

Não, não vamos preparar lasanha, mas um pequeno rocambole, com cara e tamanho de canelone... tipo um mini-rondelli. Precisaremos de 400 g de massa para lasanha, a seca mesmo que compra-se em caixinhas e disputam lugar nas prateleiras com todo tipo de pacote de macarrão. Cozinhe as laminas em água fervente com sal e azeite por 2 minutos, apenas para torná-la maleável. Reserve.

Prepare o recheio, 100 g de carpaccio de haddock defumado, 125 g de queijo de cabra cremoso, 1 cebola ralada, 1 pitada de sal (bem de leve), 3 colheres (sopa) de azeite e salsinha a gosto. Misture tudo até formar uma pasta homogênea e pronto.

Espalhe este recheio de maneira uniforme sobre a massa de lasanha pré-cozida, evite as bordas para que não escape.  Enrole como um rocambole, coloque em uma forma, untada com azeite, deixando a "emenda" para baixo.

Hora do molho. Em uma panela derreta 3 colheres (sopa) de manteiga, assim que derreter frite nesta manteiga 3 colheres (sopa) de farinha de trigo, acrescente 3 xícaras de leite em temperatura ambiente e mexa até obter um creme uniforme. Mexendo sempre, adicione devagar o suco de 1 limão siciliano. Tempere com sal e pimenta do reino e continue mexendo até que engrosse.

Coloque o molho sobre os enroladinhos, cubra com queijo parmesão ralado e leve ao forno preaquecido à 250° por 10 minutos, ou até que o molho esteja fervendo e o queijo esteja gratinado.

mini rondelli de haddock defumado com queijo de cabra ao molho de limão siciliano

Para esperar este prato principal: limão... Quer dizer, carpaccio de abobrinha. Com a ajuda de um descascador de legumes manual, faça finas fatias de abobrinha no sentido longitudinal. Tempere com sal, noz moscada, azeite, orégano e suco de limão (1/4 de um limão taiti é suficiente). Enrole as fatias e sirva com tiras de queijo branco.

Só isso? Nada, ainda falta uma crocância.

Na hora de pré-cozer as massas de lasanha, algumas rasgaram e como nada se perde... tempere com um pouquinho de sal e pimenta do reino e frite imersas em óleo bem quente. Petisquinho delícia para esperar o prato principal.

carpaccio de abobrinha e macarrão frito

Cardápio leve de preparo simples mas com sabores e aromas delicados, complexos e sofisticados. Acidez, crocância, cremosidade, está tudo lá, junto com um toque defumado e o frescor do carpaccio de abobrinha... 

Ideal para criar um momento de tranquilidade em meio ao caos. Exatamente o que se precisa em épocas tão tumultuadas seja no início, no fim ou no meio do ano.


Ingredientes

Carpaccio de abobrinha:
2 abobrinhas médias
75 g de queijo branco fresco
1/4 de limão
orégano, sal, azeite e noz moscada a gosto

Macarrão frito:
Tiras de macarrão pré-cozido e enrolado
óleo para fritar

Mini-rondelli de haddock defumado e queijo de cabra ao molho de limão siciliano
400 g de massa para lasanha
100 g de carpaccio de haddock defumado
125 g de queijo de cabra cremoso
1 cebola
sal, azeite e salsinha a gosto.

Para o molho:
3 colheres (sopa) de manteiga
3 colheres (sopa) de farinha de trigo
3 xícaras de leite
1 limão siciliano.
sal e pimenta do reino a gosto

Parmesão ralado para gratinar

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Energia

Carboidratos, glícidos, glucídios, glúcides ou hidratos de carbono constituem a primeira e principal substância a ser convertida em energia calorífica nas células.

Traduzindo: açúcar, massas, pão e batata são ótimos para aqueles dias corridos. 

E falando em corre-corre, nenhum mês do ano exige mais energia que o último. Presentes, pensar na ceia, decorações, festas, cartas e cartões e no meio de tudo isso ainda arrumar tempo para respirar um pouco, passar por aqui e tirar um texto do forno para servir ainda quente.

Então, que tal combinar alguns desses carboidratos simples e começar o dia com um belo pão de batata?

pão de batata para um dia cheio de energia

Comece dissolvendo 45 g de fermento biológico fresco em 1 xícara de leite em temperatura ambiente, 1 xícara de água e 1 colher (sopa) de açúcar. Deixe descansar. Enquanto isso, cozinhe 3 batatas médias (sempre que a batata for utilizada para o preparo de massas, prefira a qualidade asterix por ser mais sequinha). Quando as batatas estiverem macias, faça um purê e deixe esfriar.

Batatas frias, fermento descansadinho, misture 1 ovo às batatas e aos poucos vá incorporando as batatas ao fermento. Hora de juntar 1 colher (sopa) de manteiga, 1 colher (chá) de sal, 400 g de farinha de trigo e por último adicione 150 g de semolina. A semolina é a trituração grossa do endosperma do trigo duro, com alto conteúdo proteico que ajuda a manter a sensação de saciedade por mais tempo. Traduzindo: a semolina faz com que a fome demore mais para voltar e torna a receita mais saudável.

Misture tudo até que a massa esteja lisa e homogênea e deixe descansar por 20 minutos.

Após este tempo, unte uma forma de bolo inglês com azeite, coloque massa até 1/4 da altura da forma, na parte central da massa capriche no requeijão cremoso, cubra com mais massa fechando bem as laterais para que o requeijão não escape. Pincele uma gema de ovo sobre o pão e faça alguns cortes com a faca. Deixe descansar por mais 20 minutos e então leve ao forno preaquecido a 180° por aproximadamente 45 minutos (ou até que esteja dourado e soltando da lateral da forma).

Sirva quente e tenha cuidado com o recheio.

recheio quente de requeijão cremoso

Massa saborosa e aerada com recheio cremoso para começar bem qualquer dia. Até mesmo aqueles que parecem ter menos horas do que deveriam.


Ingredientes

Pão de batata:
45 g de fermento biológico fresco
1 xícara de leite
1 xícara de água 
1 colher (sopa) de açúcar.
3 batatas médias (prefira a qualidade asterix)
2 ovos
1 colher (sopa) de manteiga
1 colher (chá) de sal
400 g de farinha de trigo 
150 g de semolina.
requeijão cremoso e azeite à vontade

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Juro

Já faz tempo que eu queria rechear uma abóbora, mas por tratar-se de uma receita trabalhosa...

Juro que tentei ficar bem quietinha esperando a vontade passar, mas não funcionou. Sou dessas que quando encasqueta com uma ideia, não há o que fazer além de realizá-la.

abobora recheada... nada de deixar a vontade ir embora


Assim sendo... hora de escolher uma abóbora que sirva apenas 2 pessoas. Tarefa nada fácil.

Juro de pés juntos que escolhi a menor abóbora que tinha na banca da feira, ainda assim, dava para alimentar umas 4 pessoas.

Nem sei que abóbora era... de casca escura e bem lisinha que lembra a cabotiã. Pesquisei na internet depois e me parece que é a mogango (que eu nunca tinha ouvido falar até então, mas juro que o nome que encontrei é esse mesmo.

Cogitei (rapidamente) colocar um camarãozinho lá dentro, juro. Mas não foi desta vez.

Preferi idealizar a receita com um tenro franguinho trabalhado no leite de coco e na pimenta. Delícia!

E juro que apesar do preparo ser um pouquinho trabalhoso, é bem fácil de fazer.

Comece cozinhando a abóbora em uma panela grande onde seja possível deixá-la submersa em água com sal. Deixe ferver até que a abóbora esteja macia e só então tire a "tampa" da abóbora e com a ajuda de uma colher limpe as sementes. Tempere com sal e azeite e reserve.

Azeite aquecido em uma panela, refogue 1 cebola e 2 dentes de alho bem picados. Acrescente 1 peito de frango cozido e desfiado. Frite bem e quando começar a grudar no fundo da panela flambe com 1/2 xícara de cachaça. 

Espere o fogo baixar e acrescente 2 tomates picados. Os tomates vão soltar água e começar a formar uma mistura homogênea e úmida, hora de temperinhos a gosto: sal, pimenta do reino, salsinha e gotas de tabasco (pimenta dedo de moça cairia muito bem, mas estava em falta na geladeira aqui de casa).

Agora é só juntar 1 vidro de leite de coco, 2 colheres (sobremesa) de farinha de trigo e mexer sempre até engrossar.

Recheie a abóbora com o frango ainda quente alternando o recheio com camadas de cubos de queijo meia cura. Finalize com uma camada de recheio de frango e 2 fatias de mozzarella, leve ao forno preaquecido a 250º por aproximadamente 20 minutos para gratinar.

Não disse que era fácil?

recheio de frango com leite de coco e pimenta... delicioso


Juro que estava delicioso!

Delicado, picante, cremoso... uma saladinha de folhas para dar frescor e um pãozinho de casca crocante para acrescentar ainda mais uma textura e trazer à mesa o prazer irresistível de absorver até o último resquício de sabor do prato.

Ainda bem que a vontade não foi embora... da próxima vez pulo a parte de ficar quietinha e vou direto para o preparo, mas juro que vou tentar resistir à tentação de usar frango.


Ingredientes

Frango com leite de coco na ábobora:
1 abóbora (moranga, mogango cabotiã, o freguês é quem manda)
1 cebola
2 dentes de alho 
1 peito de frango pequeno
1/2 xícara de cachaça
2 tomates picados
1 vidro de leite de coco
2 colheres (sobremesa) de farinha de trigo
50g de queijo meia cura
2 fatias de mozzarella
azeite, sal, salsinha e pimenta a gosto (troca a tabasco por dedo de moça)

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

#

muffins de bacon #saindodoforno

Um dia me disseram que existia dois tipos de linguagem, a escrita e a falada. E que a principal diferença entre elas é que a linguagem escrita era muito mais formal. #eraumavez

Pois é... isso deve ter sido em outros tempos, pois hoje temos pelo menos 3 linguagens, a escrita, a falada e a digital, que apesar de ser escrita consegue ser ainda mais informal que a falada e muitas vezes tão expressiva quanto devido a recursos como emojis e hashtags. #loucosporemojis

Vou focar na hashtag. Algo que nasceu para agrupar publicações sobre um mesmo tema e desta forma possibilitar a descoberta de quais são os assuntos do momento.  #focanahashtag

O mais legal é que este recurso passou a ser uma ferramenta importante para dar voz à diversas causas. #somostodos #primeiroassedio #meuamigosecreto

Mas nem tudo é coisa séria. O uso criativo e sem moderação faz surgir hashtags para todos os gostos e momentos. #hajacriatividade

Não raro, já há quem também faça uma cerquilha com os dedos antes de expressar um sentimento (#chatiada) ou para encerrar um conselho (#ficaadica).

E como já deu pra perceber as hashtags invadiram também este texto. #hashtagnacozinha

As hashtags vão dominar o mundo! #pinkyecérebro

Então antes que cada palavra ganhe uma cerquilha e que os espaços caiam em desuso #partiucozinha

O nome desta receita é quase uma onomatopéia: muffins. M-U-F-F-I-N-S, falar esta palavra já traz a mesma sensação de morder um bolo fofinho e delicioso. Não? #pirandonapalavra

E por que muffins? Oras, porque é simples e versátil, assim como as hashtags. #caminhosdeumamentetortuosa

Aqueça uma frigideira e frite 1 xícara de cubinhos de bacon até que fique dourado. Escorra em papel toalha e reserve. #reservado #baconnaareavip

Em uma travessa coloque 3 xícaras de farinha de trigo, 1/2 xícara de parmesão ralado, 4 ovos, 1/2 xícara de azeite, 1 e 1/2 xícara de leite em temperatura ambiente, 1 pitada de sal, 1 colher (chá) de bicarbonato de sódio e 2 colheres (chá) de fermento em pó. Misture tudo muito bem até obter uma massa lisa e homogênea. #tudojuntoemisturado

Passe o bacon em farinha de trigo, tire o excesso e misture delicadamente à massa. Pique 1 xícara de queijo (escolha um queijo que derreta) e também passe na farinha de trigo antes de incorporar à massa. Esse procedimento ajuda a evitar que o bacon e o queijo fiquem apenas na parte de baixo do muffin, a ideia é que fique mais espalhado. #espalho

Preencha 3/4 de forminhas de cupcake com a massa. As forminhas devem ser untadas. Leve ao forno a 22° por aproximadamente 20 minutos e sirva na sequência porque bolo bom é bolo quente, e essa máxima vale também para os bolos salgados. #amantesdeboloquente

fofinho e saboroso #queijoderretido

Fofinho, saboroso, o azeite dá um toque especial e pode ficar ainda melhor com uma cobertura de requeijão cremoso. #queromais

pra provar ainda quente #saindofumaça

Receita simples e deliciosa. Mas... para quem quiser criar um pouquinho de dificuldade... #subindodenivel

Para provar ainda quente ficou perfeito, mas no dia seguinte achei a massa um pouco densa, acredito que bater as claras em neve e incoporá-las delicadamente à massa resolva essa questão. #ficaadica


Ingredientes

Muffin
3 xícaras de farinha de trigo
4 ovos
1/2 xícara de parmesão ralado
1/2 xícara de azeite
1 e 1/2 xícara de leite 
1 pitada de sal
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
2 colheres (chá) de fermento em pó
1 xícara de bacon em cubos
1 xícara de qualquer queijo que derreta

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Paciência


Nesse fingir a vida segue veloz... o que esperar do mundo? O que o mundo espera de nós?

O corpo parece pedir um pouco mais de alma e o único cardápio que me parece possível é o hors concours do comfort food: macarrão com queijo (com direito a bacon crocante).

Cozinhe 2 xícaras de macarrão pai nosso em água fervente por aproximadamente 4 minutos (o macarrão irá terminar o cozimento no forno e não deve ficar desmanchando). Escorra, passe na água fria e reserve.

Em uma frigideira preaquecida frite 1 xícara de bacon em pequenos cubos até que estejam bem tostadinhos. Escorra, descarte o óleo e reserve.

Panela grande, derreta 2 generosas colheres (sopa) de manteiga. Frite 2 colheres (sopa) de farinha de trigo na manteiga e adicione 1 xícara de leite e 1 lata de 270 ml de cerveja. Misture bem e acrescente temperinhos, 1 colher (chá) de noz moscada, 1 colher (chá) de páprica defumada, sal e pimenta do reino a gosto. Para finalizar coloque 1 xícara de queijo gouda em cubos e 1 xícara de parmesão ralado (ralo grosso), mexa bem até que derreta e fique um molho uniforme.

Macarrão em uma forma, o molho de queijo por cima até cobrir, cubra com farinha de rosca e o bacon frito e leve ao forno a 180° por aproximadamente 30 minutos (ou até que a superfície esteja dourada).

macarrão com queijo, bacon e cerveja saindo do forno (praticamente um escondidinho de pai nosso)

Receita rápida, para quem não tem tempo a perder, mas mesmo assim quer provar algo saboroso com um pouco de calma e refletir no quanto a vida é rara.

Tão rara.


Ingredientes

Macarrão com queijo (com bacon e cerveja):
2 xícaras de macarrão pai nosso
2 colheres (sopa) de manteiga
2 colheres (sopa) de farinha de trigo
1 e 1/2 xícara de leite
270 ml de cerveja
2 xícaras de queijo gouda em cubos
1 xícara de parmesão ralado
1 colher (chá) de páprica defumada
1 colher (chá) de noz moscada
1/2 xícara de farinha de rosca
1 xícara de bacon em cubos
pimenta do reino e sal a gosto

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Trava-línguas


Enquanto Moses supõe que seus dedos são rosas, meu dedos, que não são rosas (e nem suponho isto) fazem rosas.

Mas eu sei que meus dedos não fazem rosas de verdade, apenas um folhado que parece uma rosa.

Rosas de massa e maçã não são rosas, mas massa e maçã podem parecer rosas, desde que massa e maçã sejam preparadas em formato de rosas.

rosas folhadas de maçã

Corte 2 maçãs em finas fatias. Mantenha a casca, tire os caroços. Pingue gotas de limão para que não oxidem e escureçam. Em uma panela, 3 L de água, 1 xícara de açúcar e coloque as fatias de maçãs para ferver por aproximadamente 5 minutos.

Escorra as maçãs e reserve.

Abra a massa folhada até que fique bem fininha, aproximadamente 2mm, e corte em tiras de 5 cm de largura por 20 cm de comprimento. Há quem opte por pincelar uma fina camada de geléia sobre a massa nesta etapa da receita. Dizem que sem a geléia as rosas ficarão secas, e ninguém gosta de rosas secas, mas eu prefiro dispensar a geléia, porque acho que a geléia umedecerá a massa e dificultará o cozimento, mas o critério é pessoal e intransferível.

Tiras de massa pronta, maçãs cozidas, disponha as maçãs longitudinalmente sobre a massa de forma ordenada, sempre a partir da metade da massa para cima. Coloque a primeira fatia com a parte da casca para fora da massa mesmo. A segunda fatia de maçã deve ser colocada na mesma posição da anterior, mas a partir da metade do comprimento da primeira e assim por diante até o final da tira de massa formando uma fila bem comportada. Polvilhe açúcar e canela sobre as fatias de maçãs. Dobre a parte de baixo da massa sobre as maçãs e enrole da ponta final até o início. Parecerá uma rosa!

Difícil de explicar, fácil de fazer!

Unte uma forma redonda pequena, de pão de mel ou cupcake, e coloque as rosas folhadas delicamente para que não percam o formato.

Polvilhe mais açúcar e canela sobre as rosas e leve ao forno preaquecido em temperatura média (180º) por aproximadamente 30 minutos. É importante que a massa cozinhe lentamente para que o miolo (onde a concentração de massa é maior) não fique cru. Caso o forno tenha a opção de cozimento superior e inferior mantenha somente no inferior por tempo prolongado para que a massa fique bem crocante na parte de baixo.

A mamãe mafagafo levou as rosas para seu ninho e os cinco mafagafinhos sentiram-se capazes de desmafagafizar rapidamente.

Três tigres deixaram de ser tristes depois de colocarem de lado os pratos de trigo e provarem essas rosas.

O rato esqueceu de roer a roupa do rei de roma para roer rosas folhadas.

Mas principalmente, Moses deixou de supor que seus dedos eram rosas, pois queria comer as rosas e não poderia comer rosas que fossem dedos.

Porque Moses é Moses.
Rosas são rosas.
Dedos são dedos.
E doces são doces independente da forma que tenham.


Ingredientes

Rosas folhadas de maçã.
2 maçãs
1 Pacote de massa folhada 500g
1 xícara de açúcar
Açúcar e canela para polvilhar

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Pra não dizer que não falei das flores


A primavera está rolando e ainda não falamos das flores. Então, vamos deixar as massas de lado e falar da couve-flor um pouquinho?

Vamos! \o/

couve-flor é tudo de bom!

A couve-flor é rica em minerais, cálcio, fósforo, tem vitamina C, é livre de gorduras e possui teores baixos de sódio e calorias. É tudo de bom!

E é bom aproveitar que é barato (nem sempre)! Além da receita ser muito fácil de fazer.

Comece limpando um pouco a couve-flor, delicadamente retire a primeira camada, aquela bem branquinha,  dos caules mais grossos para que cozinhe por igual. E corte a parte de baixo sem soltar as flores, apenas para ficar bem retinha e não "tombar" na forma.

Coloque a couve-flor em uma panela grande, onde ela caiba inteirinha, cubra com água fria, retire a couve-flor. Agora que o cálculo da quantidade de água já foi feito...

Um pouco de sal na água e espere ferver, somente depois que levantar fervura mergulhe a couve-flor de volta e deixe cozinhar por aproximadamente 7 minutos, ou até que ao espetar um garfo não encontre resistência.

Escorra bem e espere esfriar. Depois de fria... Hora do recheio. Finas pétalas de cebola, folhas de salsinha, queijo meia cura em tiras grossas e fatias de presunto de parma (ninguém é de ferro). Não tem uma medida exata, depende do tamanho da couve-flor e da variedade de recheio, pode-se acrescentar o que tiver vontade (azeitona, peito de peru e manjericão são boas opções para uma versão mais light).

couve-flor bem recheadinha com presunto de parma... 

Tudo bem recheadinho, prepare o bechamel para a cobertura. Aqueça 1 colher de manteiga e assim que derreter adicione 1 colher (sopa) de farinha de trigo, misture bem e então acrescente 1 xícara de leite mexendo sempre para não empelotar. Assim que começar a engrossar tempere com sal, noz moscada, parmesão ralado e espere esfriar.

Lambuze toda a parte externa da couve-flor com o bechamel e então cubra com muito queijo parmesão. Leve ao forno bem quente por aproximadamente 10 minutos para gratinar.

gratinadinha para ficar ainda melhor...

Ficou linda porque foi feita com carinho!

Ficou gostosa porque foi feita com queijo e presunto de parma. ;)

Cremosa e deliciosamente saborosa. Receita bárbara e cheia de nutrientes. Realmente tudo de bom!

cremosa e deliciosa, feita com carinho!

Ingredientes

Couve-flor recheada:
1 couve-flor grande
1 cebola
1/2 maço de salsinha
1 pedaço de queijo meia cura
fatias de presunto de parma
1 colher (sopa) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de manteiga
1 xícara de leite
muito parmesão
sal e noz moscada com moderação

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Ói nóis aqui traveis


Pois é... depois de um período de turbulências: ói nóis aqui traveis! De volta ao futuro!

E a volta dos que não foram será comemorada com presentes. OBA! E mais massa...

No último e já longínquo aniversário ganhei pequenas panelas vindas diretamente de Gragnano.

Gragnano é uma comunidade de Nápoles famosa por sua produção artesanal, a massa é feita com semolina de grano duro e trabalhada em formas de bronze que criam ranhuras a fim de facilitar a absorção do molho.

Mas não basta ser uma massa diferenciada que atravessou o oceano, ela é muito mais especial. Cada caccavella, ou pequena panela, tem 6 cm de altura por 9 cm de diâmetro e este formato foi criado por Ciro Moccia com a intenção de ser a maior massa do mundo.

caccavella de Gragnano... sentiu a responsabilidade?

Chega de pesquisar e mãos à obra. A ideia é montar camadas dentro da panelinha para juntar muitos sabores, mas nada exótico. Sabores intensos e familiares como toda boa massa merece.

Começando pelo molho. Panela quente, azeite aquecido, refogue 1 xícara de salsão picado e 1 cenoura também picada. Depois de bem refogar, acrescente 1 lata de tomate pelati mais 2 tomates frescos, a mesma medida da lata de água fervente, sal a gosto, pimenta do reino, mexa e deixe apurar em fogo médio por aproximadamente 3 horas mexendo e pingando água fervente quando houver necessidade. Para finalizar acrescente salsinha picada. Reserve.

Primeiro recheio: mignon com cogumelos. Panela quente, azeite aquecido, refogue 1 cebola e 2 dentes de alho finamente picados, acrescente 400 g de tiras de filé mignon e deixe fritar. Quando a carne estiver bem dourada adicione meia dose de cachaça e fogo!

Após flambar adicione sal, 2 colheres (sopa) de mostarda dijon, 200 g de shitake em tiras finas e 200 g de shimeji branco. Finalize com salsinha e reserve.

Segundo recheio: queijo, muito queijo!

Corte pequenos cubos de Mozzarella de búfala, suficiente para 2 xícaras, e tempere com azeite e folhas de manjericão. Reserve.

Hora de cozinhar a massa para iniciar a montagem!

Ferva água em quantidade suficiente para cobrir a caccavella. Assim que ferver mergulhe a massa nesta onda e deixe cozinhar por 10 minutos, após este tempo retire da água quente e banhe em calmas águas geladas para interromper o cozimento.

Agora sim. Tudo pronto para a montagem. Na cumbuca um pouco de molho, a caccavella, mais molho, carne com cogumelos, queijo com manjericão, azeite, molho, carne com cogumelos, queijo com manjericão, azeite, muito molho, lascas de parmesão e forno preaquecido para gratinar.

molho, carne, cogumelos, azeite e mais molho dentro da maior massa do mundo...

Todos os sabores juntos e misturados ali naquela panelinha de massa que dá até dó de desfazer... Nem sei explicar. É um verdadeiro desacato. 

Pra resumir fica assim arresorvido: é de ficar fregueis!

Com tudo arresorvido chega de falá. Nóis viemo aqui prá comê e também prá harmonizá.

Harmonização de um presente se faz com outro presente, aí ficou fácil escolher o vinho francês Léon Perdigal que desembarcou por estas bandas na mesma ocasião da caccavella.

francês honesto

Vinho honesto, de muitas boas notas que juntaram com o cardápio e deu samba.



Ingredientes

Caccavella:
4 caccavella
1 xícara de salsão picado
1 cenoura
1 lata de tomate pelati
2 tomates frescos
400 g de filé mignon em tiras
1 cebola
2 dentes de alho
1/2 dose de cachaça
2 colheres (sopa) de mostarda dijon
200 g de shitake
200 g de shimeji branco
2 xícaras de mozzarella de búfala em pequenos cubos
1/2 maço de manjericão
sal, pimenta do reino, azeite e salsinha sempre 

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Miojo de qualquer jeito

Não posso dizer que sou uma pessoa que segue dietas rígidas ou que ao menos se esforça para manter uma alimentação saudável. Mas posso dizer que já fui bem pior.

Houve uma época em que miojo era a alimentação básica deste ser humano que vos escreve. Quando cursava o ensino médio (falar colégio entrega a idade) todo dia era dia de comer miojo. Preferencialmente acompanhado de nuggets, às vezes salsicha, outras vezes bife (ufa!), mas sempre miojo.

Miojo com orégano, com ovo, tipo sopinha, bem sequinho, feito no microondas (preguiça pouca é bobagem), com presunto, com queijo, mais queijo... miojo de qualquer jeito. Todo fanático por miojo tem várias receitas na manga.

E só quem já vivenciou a experiência de ter o miojo como base alimentar entende como é possível elegê-lo como o mais reconfortante dos sabores de todo o universo.

Pois é... exageros à parte, miojo é bom demais! Mas está longe de ser um espetáculo de sabores que explodem na boca ou exemplo de alimentação balanceada. E não se iluda, o vilão não está escondido somente dentro daquele pacotinho prateado, aparentemente inocente, que carrega uma quantidade absurda de sódio, recentemente descobri que para o macarrão manter aquele formato bonitinho e característico ele é frito antes de ser embalado! SIM! É muito pior do que eu imaginava.

sim, ele é frito!

Mas... um miojo de vez em quando facilita a vida e conforta a alma até nos piores momentos.

Por isto, mesmo após alguns anos, mesmo conhecendo um pouquinho mais dos segredos das panelas e procurando evitar excessos na dieta, ainda assim, sempre tem um pacotinho de miojo nos recônditos mais obscuros do armário. E se foi comprado e está no armário, não pode estragar.

Hora de exercitar a criatividade, carregar a bateria do raio gourmetizador e transformar um simples miojo em uma refeição digna de ser publicada no blog.

A ideia é compensar esse lado junk do miojo com alimentos saudáveis como espinafre, ervilhas frescas e tomatinho. Tomatinho assim no diminutivo mesmo, o tomate sweet

Comece dissolvendo o tempero de 2 pacotes de miojo de tomate Turma da Mônica (meu preferido ♥) em uma xícara de leite morno. Reserve.

Em uma frigideira grande coloque 4 colheres (sopa) de azeite, 3 dentes de alho picados e refogue rapidamente. Acrescente 1 maço médio de espinafre que já deve estar lavado (deixei as folhas inteiras, mas picar é uma boa ideia para quem prefere uma textura mais delicada). Refogue o espinafre até que murche bem.

Acrescente 15 tomates sweet inteiros, 50 g de ervilhas frescas e misture tudo. Deixe cozinhar por 15 minutos, junte aquela xícara de leite com o tempero, 1 xícara de queijo parmesão ralado e 1 colher (sobremesa) de farinha de trigo para engrossar.

Ferva, em bastante água, 3 pacotes de miojo (isso mesmo, só 2 temperos, mas 3 pacotes de miojo), ferva por 2 minutos e meio e escorra. A finalização do prato acontece quando junta-se o macarrão à frigideira do molho até que tudo esteja bem envolvido. Agora é só servir!!!!

incrível! miojo com espinafre, tomatinhos, ervilha e muito sabor...

Sou suspeita pra falar, mas achei simplesmente incrível.

O tempero ficou suave, texturas variadas, a ervilha ficou crocante e os tomates suculentos e macios. O molho ficou denso, incorporou bem aos longos fios do macarrão instantâneo e o espinafre cumpriu bem o seu papel ao aliviar a consciência com generosas doses de nutrientes.

Recomendo, mesmo com tempo de preparo superior a 3 minutos.

Resumindo: quando a vida lhe der limões, faça uma limonada. Quando a vida lhe der 3 minutos, faça miojo. Quando tiver um tempinho extra faça miojo gourmet!


Ingredientes

Miojo de tomate com espinafre:
3 pacotes de miojo de tomate Turma da Mônica
1 xícara de leite morno
4 colheres (sopa) de azeite
3 dentes de alho
1 maço médio de espinafre
15 tomates sweet
50 g de ervilhas frescas
1 xícara de queijo parmesão ralado
1 colher (sobremesa) de farinha de trigo para engrossar
salsinha para finalizar

PS: até agora estou tentando descobrir de onde surgiram os limões do último parágrafo.

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Irresistível

Chocolate;
Pão de mel;
Bolo quente;
Pão fresco;
Doce português;
Caldo verde (no inverno);
Torresminho;
Cantar junto com a canção (mesmo destruindo a música em questão);
Filhotes;
Cães velhinhos;
Sobrinhos fofos;
Candy crush!

Estamos cercados de coisas irresistíveis por todos os lados!!! Como fazer para se controlar???

Já faz um tempo que eu procuro evitar livrarias e bancas de jornal... não sou capaz de resistir a um novo livro ou graphic novel, mesmo sabendo que a pilha da leitura anda bastante atrasada.

Mais recentemente ando pensando em evitar a feira também... Como posso passar em frente a uma banca repleta de alcachofras e ignorar este fato?

Nestes casos só há uma coisa a ser feita: comprar dúzias de alcachofra, claro!

É mais forte do que eu.

Não posso ver uma alcachofra que lá vou eu. E não adianta racionalizar, pensar que já fiz alcachofra na semana que passou, que não está na lista desta semana, que não terei tempo, que dá trabalho, que está cara... as alcachofras vão para o carrinho independente de qualquer argumento.

E aí se você compra alcachofra toda semana é preciso variar. Não dá para fazer sempre a mesma maravilhosa e irresistível receita de alcachofra recheada. Ou será que dá?

Bom, como eu também não resisto a uma invencionice na cozinha... as alcachofras transformam-se em risoto, pizza, recebem recheios, molhos e outras formas de torná-las ainda mais irresistíveis.

Com lasanha e massa fresca começa a parecer até óbvio o quanto o potencial das alcachofras pode ser explorado!

Não importa o recheio, se a lasanha é de massa fresca isso faz com que fique duas vezes mais fantástica e quem acompanha o blog já deve saber o modo de preparo de cor e salteado, mas se ficar com alguma dúvida pode pegar todo o passo a passo na receita da lasanha de abobrinha.

Vai sobrar massa! Não desperdice, após o pré cozimento das lâminas, seque, passe um pouco de azeite, embrulhe em papel filme e leve ao freezer. É sempre útil!

Agora sim, o recheio! Aí que entra a graça. Limpe 500 g de mini alcachofras (aquelas utilizadas para conserva). Corte a parte superior tirando a ponta das folhas, descarte as folhas externas mais duras e a parte externa, mais fibrosa, do cabo. Vão sobrar apenas os coraçõezinhos lindos e saborosos. Cozinhe em 3 L de água com 2 rodelas de limão até que estejam al dente. Escorra, divida cada mini alcachofra em 4 e tempere com sal, azeite, pimenta do reino e as raspas de 1/2 limão. Reserve.

Prepare o molho! Comece colocando os ingredientes da refoga em um processador (pode ser pilão se houver coragem), 1 cebola, 2 dentes de alho, 1/2 maço de salsa e um pouco de cebolinha, sal e azeite a gosto. Refoga verde pronta, aqueça uma panela, coloque a refoga e vá mexendo até soltar todos os aromas e ficar bem sequinha. Nesta hora acrescente 1 lata de tomate pelati picado (pique os tomates dentro da própria lata, basta usar uma faca comprida e afiada) e a mesma medida da lata de água fervente. Mexa bem, verifique e corrija o sal se necessário, abaixe o fogo, deixe a panela semi-tampada e espere apurar por aproximadamente 1 hora. Deixe esfriar e reserve.

Separe algumas folhinhas de manjericão lavadas, 180 g em tiras de mais ou menos 1 cm de largura de queijo minas (branco fresco) e lascas de parmesão. Está tudo pronto para a montagem.

Utilize uma forma retangular de 20 cm por 27 cm. Coloque um pouco de molho na forma para ajudar a "colar" as lâminas de massa que já devem estar pré cozidas, espalhe 1/3 das alcachofras por toda a camada, entre as alcachofras coloque 1/3 das tiras de queijo branco, algumas folhinhas de manjericão, regue com azeite, molho, massa, alcachofras, queijo branco, manjericão, azeite, molho, massa, alcachofras, queijo branco, manjericão, azeite, molho, massa, molho de novo e lascas de parmesão suficientes para cobrir toda a superfície, mais um pouco de azeite, porque ninguém é de ferro e levar ao forno preaquecido à 250° por aproximadamente 25 minutos (ou até que o molho esteja fervendo e queijo esteja dourado e delicioso).

lasanha de, irresistíveis, alcachofras

Simplesmente irressitível!

O toque de limão é o charme da receita, mas não só ele. Tudo se complementa, o queijo minas, as alcachofras, o molho, as folhinhas de manjericão... receita leve para comer sem culpa, afinal massa feita com semolina não possui só calorias vazias, pode ser bem nutritiva também.

É... pensando bem... às vezes é melhor não resistir mesmo.


Ingredientes

Lasanha de alcachofra
massa:
200 g de semolina de trigo durum
200 g de farinha de trigo
3 gemas
3 ovos inteiros
azeite e sal a gosto

Recheio, molho e outras graças:
500g de mini alcachofras
180g de queijo minas fresco
1 limão
1 cebola
2 dentes de alho
1 lata de tomate pelatti
1 maço de salsa
cebolinha
lascas de parmesão
folhas de manjericão
sal, azeite e pimenta do reino a vontade

domingo, 23 de agosto de 2015

Fantástico!

Raros são os momentos mais confusos do que o fim de um domingo. 

Aquela hora em que ainda sente-se feliz por um fim de semana bem aproveitado, mas pontadas de angústia já batem à porta. Quem nunca?

Todo o planejamento para a semana já está mentalizado, mas lá no fundo há uma voz que faz questão de lembrar das ínfimas chances de sobreviverem... Dietas e promessas entram na lista.

A orgia gastronômica do almoço ainda está viva na memória, mas o relógio diz que já é tempo de uma nova refeição. 

É nesta hora, entre a felicidade e a insatisfação, entre o desejo e a obrigação, a determinação e o comodismo e tantas outras filosofias completamente compatíveis com a preguiça dominical que mais precisamos de uma refeição repleta de sabores familiares.

Mas que seja simples, muito simples e rápida de preparar e ainda assim, capaz de proporcionar uma breve emoção.

Comece cozinhando 1 batata média cortada em largas tiras na água fervente por 15 minutos. Escorra, seque e reserve.

Em uma travessa coloque 3 ovos, 1/4 de xícara de leite, 1 colher (café) de fermento em pó, salsa e cebolinha a vontade, azeite, sal, pimenta do reino e bata com um garfo até que fique apenas uniforme. Misture delicadamente 1 xícara de queijo branco picado e a batata que deve estar bem sequinha para que não grude no fundo da forma.

Forma untada com azeite, mas antes de colocar a mistura de ovos aqueça a forma na boca do fogão rapidamente. Agora sim, despeje a mistura de ovos e leve ao forno preaquecido a 150º por aproximadamente 25 minutos (ou até que esteja dourada).

omelete de forno com batata e salsinha, muita salsinha!

Não é um suflê, mas também não é a mesma velha omelete com batatas de sempre. Simples de fazer e deliciosa. Casquinha crocante por fora, fofinha por dentro, sabores reconfortantes e cheios de vida.

Vida que já ouve ao longe uma conhecida canção que anuncia a proximidade da segunda-feira com suas expectativas tão reais quanto imaginárias só permitidas neste espaço das noites de domingo.

É fantástico!


Ingredientes

Omelete de forno:
1 batata média 
1 xícara de queijo branco
3 ovos
1/4 de xícara de leite
1 colher (café) de fermento em pó
salsa, cebolinha, azeite, sal e pimenta do reino a gosto

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Lei do mínimo esforço

Não adianta negar. Todo mundo tem um dia de preguiça. Aquele dia que cansa até pensar em levantar da cama para ir deitar no sofá.

Mas... dormir dá fome. 

Pra essas horas é sempre bom ter algumas cartas na manga. Uma dessas cartas é ter pão no congelador. Isso mesmo, e não pense que é aquele pão congelado que compramos no supermercado e depois de pronto lembram de longe, bem de longe um pão de padaria. Não!

Este pão é aquele pão comprado na padaria mesmo, bem fresquinho. Só que  embrulhado em papel filme e colocado no congelador. Simples assim. Vai do freezer ao forno, direto, aproximadamente 10 minutos e o pão fica crocante por fora, macio por dentro e capaz de derreter a manteiga...

Enfim, ter um pãozinho desses no congelador já é algo bom pra quem tem que preguiça de ir até a padaria. E só com manteiga já seria delicioso, mas que tal quadricular este pão sem chegar ao fim e preencher os cortes com uma mistura feita com 1 tomate picado em cubos, folhas de manjericão e lascas de parmesão temperada com azeite, sal e pimenta do reino?

Não tem manjericão em casa? Troca por orégano. Não tem parmesão? Serve mozzarella. Não tem azeite? Sempre há manteiga. Quer incrementar mais? Que tal bacon? Aproveite o que estiver disponível e divirta-se. A ideia é fazer algo gostoso com o mínimo esforço possível.

receita preguiçosa para um dia de preguiça recheado de queijo, tomate e manjericão


Porção individual, crocante, cheia daqueles sabores reconfortantes que fazem sentir aquele soninho gostoso depois de comer.

Falando nisso... acho que ouvi meu travesseiro me chamar... e sabe como é... travesseiros não gostam de esperar.


Ingredientes

Pão marguerita:
1 pão francês
1 tomate
manjericão, lascas de parmesão, sal, pimenta do reino e azeite a gosto