sábado, 21 de agosto de 2010

Be happy

Nada melhor para relaxar e controlar a ansiedade do que inventar e misturar ingredientes.

Então depois de uma semana tensa e na véspera de uma importante prova, lógico que fui reinar na cozinha.

Mas o reinado começa muito antes da hora do preparo.  Começou com minha mãe e eu confabulando na sala sobre o cardápio do sábado a noite.

Pensar, idealizar e fazer a lista de ingredientes e só então conseguir dormir tranquilas.

O cardápio ficou decidido da seguinte forma:

Entrada: Batatas recheadas com creme de queijo e pastrami
Prato Principal: Risoto de alcachofra e rúcula
Sobremesa: Bolo de Chocolate da Vanúbia com sorvete e calda de morango

Vamos começar pelas batatas.

Primeiro furei com um garfo as batatas, embrulhei em papel alumínio e levei ao forno quente por cerca de uns 40 minutos. Até ficarem bem cozidas.

Tirar do forno, fazer um corte no centro da batata, cavar o miolinho dela abrindo um espaço para o recheio.

O recheio comecei com o molho bechamel e acrescentei gorgonzola e gruyére. Coloquei esse creme no espaço que cavei na batata.

Piquei algumas fatias de pastrami e puxei no azeite até que ficassem bem douradinhas e coloquei-as sobre o creme de queijo. E sobre o pastrami, mais queijo ralado para gratinar.


Ficaram muito boas, mas poderiam ter ficado melhores. A batata ficou meio seca, deveria antes do creme de queijo ter colocado um pouco de manteiga ou azeite para umidecê-las. Fica a observação para a próxima tentativa.

Acompanhamos esse jantar de um frisante branco da Salton, o Lunae. Gosto desse vinho por ser leve e, na humilde opinião de quem é totalmente leiga no assunto como eu, combinar com quase tudo.


O astro desse cardápio é o risoto. E para um bom risoto o primeiro passo é ter um bom caldo para o cozimento.

Coloquei em uma panela, dois dentes de alho amassados, uma cebola partida em 4 pedaços, uma cenoura e um tomate também partidos em 4 pedaços, um galho de alecrim, um de manjericão, salsa e cebolinha, uma folha de louro, uma pimenta, meia xícara de vinho branco seco, sal e azeite. E claro, cobri tudo com água.

Peneirei o caldo e vamos ao risoto.

Na panela azeite e uma cebola picada, o arroz arbóreo e  fritar um pouco  antes de colocar o vinho branco. Depois que o vinho evaporou bem fui aos poucos acrescentando o caldo para o cozimento do arroz.

Mais ou menos na metade do cozimento coloquei a alcachofra. Compramos aqueles corações de alcachofra em conserva. Lavei para tirar um pouco o conservante e parti na metade antes de adicioná-lo ao risoto.

Quando o arroz já estava cozido e al dente, acrescentei mussarela de búfala, rúcula picada e castanha do pará torrada e picada também, além de uma colher de manteiga para deixar a textura mais aveludada.


As castanhas deram uma excelente crocância, a rúcula deixou o risoto picante e a alcachofra foi o ingrediente que harmonizou todos os demais. Ficou suave, mas com uma variedade de sabores suficiente para agradar o paladar de maneira delicada e envolvente.

De sobremesa resolvemos testar a receita enviada pela Vanúbia. Amiga da minha irmã há tempos, que muito gentilmente contribuiu para o blog com a receita de um bolo de chocolate sem farinha.

Confesso que quando li a receita achei que ficaria interessante, mas duvidei que ficasse com textura de bolo. Ledo engano. Macio, gostoso, sabor intenso de chocolate e um toque de coco sensacional.

A receita está na página das receitas amigas aqui do blog. Vale a pena testar, espero que me mandem muito mais receitas como esta.

Como não conseguimos fazer nada sem dar um toque pessoal, acompanhamos de sorvete e fizemos uma calda de morango.

Bater os morangos com um pouco água e açúcar no liquidificador e depois levar ao fogo até engrossar um pouco.


Batata, vinho, risoto, chocolate com morango...

Resumindo?
Um jantar saboroso e feliz, perfeito para um sábado a noite.

Um comentário:

  1. Van, o bolo ficou ESPETÁCULO. Doce é mesmo seu forte. Saudades

    ResponderExcluir